Quem com
porcos se mistura
      farelo come
[2013]

Promovido pelo exercício de se manter em constante transformação, impulsionadas pelo estado coletivo de contágio, Quem com porcos se mistura farelo come é uma queda ordinária, um ato bandido entre nós mesmas.

 

Neste trabalho, reconhecemos e investigamos quais as forças que atravessam o corpo ao se mover através da relação com o outro e do prazer de dançar junto. Criamos uma zona de contágio compartilhada com o público, um estado de conexão e apropriação onde o movimento de um corpo reverbera no outro, de modo que a ação de uma de nós é incorporada pelas outras e passa a ser coletiva, diluindo sua origem individual.

 

Quem com porcos se mistura farelo come é um espetáculo que traz a possibilidade de criação em dança a partir da ideia de um corpo coletivo, que instaura precariamente um ambiente festivo e propõe uma proximidade entre público e performer.

Foto: João Priolli